Vamos falar de chá?

O chá, para mim, é amor. Repito isso o tempo todo porque é no que acredito. E quando falo de chá, só reafirmo os caminhos de afeto que percorri até chegar nesse estágio, de relacionamento sério e duradouro com a bebida.
Tudo começou com um exemplar de “Alice no País das Maravilhas”, que ganhei quando criança de uma tia querida. Não parava de me imaginar Alice, naquela mesa louca, com um Chapeleiro Maluco. O chá era a poção mágica que coloria as páginas e aquecia a minha imaginação!

Já adolescente, escolhi a terra Natal de Alice, Oxford, como destino de intercâmbio. Em um lugar diferente, longe de pai e mãe, em busca de identidade, meu coração era aquecido por finais de tarde de chá preto com leite, de cuidado e atenção da minha “mãe inglesa”, em conversas intermináveis e deliciosas.

Adulta, fui apresentada à Índia, por e com gente muito especial. Com os aromas daquele lugar impregnados em minha alma, mergulhei no Chai, descobri outro mundo, viagem sem volta. Comecei a buscar a origem dos chás e notar que se confundia com a origem das civilizações.

Percebi que o que chamo de “momento mágico” é, na verdade, um momento de amor- próprio, de autoconhecimento, e a quem será servido (o que é mais nobre do que o ato de servir?). 

Por isso, agora, em uma nova etapa dessa viagem ao mundo dos chás. Quero compartilhar com você esse amor, que começa numa paquerinha despretensiosa, mas tem tudo para virar casamento feliz.

Vamos falar de chá?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *