Marcas de chá de Brasília

Há três anos, em Brasília, penávamos um pouquinho para encontrar bons chás… Até que grandes franquias – Tea Shop e Moncloa – chegaram e conquistaram nossos corações.

Agora, mais opções surgem… Inclusive “made in Brasília”! Vamos conhecê-las? 🙂

1. Tê – marca da queridíssima Vanessa Barth, que já foi aluna da Escola de Chá Embahú, e quer plantar a ideia “de que todo mundo pode tomar chá, de forma simples, acessível”. A Té importa chás puros e blends bem simpáticos e imprime a sua carinha em fotos, rótulos e divulgação. O menu é bastante completo e você pode adquirir diretamente pelas redes sociais ou na loja Boutique das Delícias, um empório super legal na CLN 113. Ótima opção para descobrir novos sabores, hein? Dica: prove o Rooibos verde! 🙂

2. Adorável Chá – o nome da marca tem tudo a ver com a dona, Maria Beatriz, a Bia, que é adorável de verdade. Ela iniciou a caminhada no mundo dos chás revendendo as marcas “Chá Contigo” e “Tea and Art” no Mercadinho Brasília e, agora, se arrisca em criações próprias, inspiradas nas estações do ano. Há algumas semanas, lançou a coleção “Outono”, que conta com cinco blends autorais e artesanais. Disponível pelo instagram e em feiras e eventos especiais da cidade. Fique ligado! Minha sugestão: “Aroma de outono”, com chá preto, nibs de cacau e blueberry.

Conhece alguma marca de chás e infusões aqui de Brasília que merece ser compartilhada? Deixe aqui nos comentários a sua dica, pra todo mundo conhecer! No boca-a-boca, a gente faz o caminho do chá crescer, pra mais gente andar com a gente por aí. Que tal?

Nas próximas semanas, vou bem ali na China, aprender um pouco mais sobre nosso assunto do coração, mas em maio tô de volta. Até lá, já deixei alguns textinhos a serem publicados, pra gente não morrer de saudade, tá? Então, não estranhem se eu demorar a responder…

Até a volta, se quiser me acompanhar pelo Instagram ou Facebook , vou postar – no tempo que a Grande Muralha deixar – imagens das aventuras chinesas que tenham a ver com nosso #momentomágico; só checar no @chazeira (insta) ou @eloinachazeira (face) . Te espero lá, pra não morrermos de saudade até maio, tá?

Beijos e bons chazinhos. Logo volto, com sotaque chinês! 🙂

Vamos falar de chá?

O chá, para mim, é amor. Repito isso o tempo todo porque é no que acredito. E quando falo de chá, só reafirmo os caminhos de afeto que percorri até chegar nesse estágio, de relacionamento sério e duradouro com a bebida.
Tudo começou com um exemplar de “Alice no País das Maravilhas”, que ganhei quando criança de uma tia querida. Não parava de me imaginar Alice, naquela mesa louca, com um Chapeleiro Maluco. O chá era a poção mágica que coloria as páginas e aquecia a minha imaginação!

Já adolescente, escolhi a terra Natal de Alice, Oxford, como destino de intercâmbio. Em um lugar diferente, longe de pai e mãe, em busca de identidade, meu coração era aquecido por finais de tarde de chá preto com leite, de cuidado e atenção da minha “mãe inglesa”, em conversas intermináveis e deliciosas.

Adulta, fui apresentada à Índia, por e com gente muito especial. Com os aromas daquele lugar impregnados em minha alma, mergulhei no Chai, descobri outro mundo, viagem sem volta. Comecei a buscar a origem dos chás e notar que se confundia com a origem das civilizações.

Percebi que o que chamo de “momento mágico” é, na verdade, um momento de amor- próprio, de autoconhecimento, e a quem será servido (o que é mais nobre do que o ato de servir?). 

Por isso, agora, em uma nova etapa dessa viagem ao mundo dos chás. Quero compartilhar com você esse amor, que começa numa paquerinha despretensiosa, mas tem tudo para virar casamento feliz.

Vamos falar de chá?